Aprendendo a manejar as águas das chuvas

Durante a época de chuvas de verão, grande quantidade de água escorre das partes mais altas do bairro, provocando pequenos alagamentos nas ruas mais baixas. Um exemplo é o que ocorre entre o final da Rua Padre Cerdá e a Rua Madre Maria Angélica, em uma das faces da Praça Carlos Monteiro Brisolla, quando grande quantidade de terra se espalha ruas abaixo.


Praça Carlos Monteiro Brisolla
Como consequência, esse pequeno apêndice da praça, que tem a forma de um triangulo, está bastante assoreado e cheio de erosões. Uma das maneiras de resolver este problema é criar estruturas que permitam que a água da chuva penetre de maneira mais lenta no solo e seja absorvida através de jardins de chuva, biovaletas e muitas plantas. Esta solução ajuda a deixar o solo da cidade mais permeável e recarrega os lençóis freáticos, diminuindo a ocorrência de enchentes.
O grupo de trabalho Áreas Verdes do Coletivo de Moradores e Amigos das Vilas Beatriz, Ida e Jataí entrou em contato com Andrea Pesek e Vinicius Pereira, do grupo Permacultores Urbanos, para nos ajudar a regenerar esta área.
Oficina mutirão na praça
Andrea e Vinícius são permacultores com experiência em manejo de águas e, juntos, organizamos um encontro na praça no próximo dia 19 de maio, das 9h às 17h, para uma oficina sobre manejo de água da chuva em formato de mutirão.
Eles nos ensinarão como fazer uma paisagem regenerativa, com um desenho baseado na natureza, para acabar com o assoreamento no local e fazer o solo absorver a água da praça. Além disso, vamos encher a praça de plantas!
Ao final do dia, os participantes terão assimilado, na prática, diversas técnicas simples e replicáveis de infraestrutura verde. É uma chance única de aprender na prática algumas técnicas regenerativas de paisagem, em meio urbano, com permacultores experientes!

O que vamos aprender?
Bioswale
Na área mais elevada, onde a água da chuva passa sobre a boca de lobo, construiremos bioswales que seguem a mesma lógica de um jardim de chuva. O bioswale, porém, é mais profundo e tem maior comprimento. Cavaremos uma vala, no fundo colocaremos pedras, cobriremos com solo e plantaremos espécies diversas.

Caminho da água de chuva
A água da chuva marcou seu caminho no terreno e podemos observar que forma uma valeta no barranco. Ao longo desse caminho, iremos fazer barreiras com pedras, troncos, plantas, para diminuir a velocidade da água. No final de seu percurso, perto da calçada do lado mais baixo dessa área da praça, faremos um jardim de chuva para filtrar e infiltrar a água.
Contenções/swales/curvas de nível/canteiros
Em alguns locais estratégicos iremos fazer contenções, cavando o solo em curvas de nível e utilizando troncos para criar platôs onde iremos plantar. Parte da água que hoje corre e forma uma cachoeira será conduzida para esses canteiros. Sobre os canteiros, cavaremos valetas onde serão colocados troncos, galhos e folhas secas, para garantir que a água da chuva penetre no solo e não seja necessário regar.
Materiais necessários
Como será uma oficina mutirão, pedimos aos participantes que contribuam levando alguns dos materiais abaixo:
·         Troncos de diversos tamanhos, na maior quantidade possível.
·         Pedras grandes, médias e pequenas.
·         Composto e terra vegetal, na maior quantidade possível.
·         Mudas de plantas que toleram condição de sombra – taiobas, inhame, costela de adão, folhagens, samambaias, musgo, grama amendoim, maria sem vergonha, lírios, capim vetiver, etc.
·         Ferramentas – enxada, enxadão, vanga, pás, rastelo, marreta, martelo, facão, serrote, serra, luvas, etc.
·         Estacas de madeira para sustentação dos troncos, se possível com a ponteira já preparada.
Também faremos um lanche coletivo. Leve alguma comidinha e bebida, de preferência em embalagens retornáveis para que geremos a menor quantidade de lixo. Lembre de levar a sua caneca!
Em caso de chuva, traga galocha e capa. Vamos examinar melhor os caminhos das águas! Se houver tempestade, adiaremos.
Confira todos os detalhes da oficina mutirão abaixo!
Oficina mutirão Praça Carlos Monteiro Brisolla
Quando: 19 de maio, das 9h ás 17h.
Local: Praça Carlos Monteiro Brisolla, entre as ruas Padre Cerda e Madre Maria Angelica, Vila Jataí
Contribuição sugerida para os permacultores: R$ 30 por pessoa.
Agenda:
9h00 às 9h40 – investigação do caminho da água no terreno e planejamento dos trabalhos
9h40 às 13h00 – mutirão
13h00 às 13h30 – lanche coletivo. Traga água e alimentos.
13h30 às 17h00 – mutirão
Para ver o local em dias de chuva acesse:
Para maiores informações contate: Thais Mauad tmauad@usp.br ou Andrea Pesek andrea@2e2.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *